Confira algumas das melhores práticas no New Relic APM

Confira algumas das melhores práticas no New Relic APM

No mercado de TI, a eficiência de um aplicativo pode significar o sucesso de uma empresa. Uma das ferramentas mais sofisticadas para o monitoramento e gerenciamento de aplicativos é o Application Performance Monitoring (APM) da New Relic.

Com o uso das melhores práticas do APM o usuário poderá encontrar falhas e conflitos antes que o cliente os encontre, isso permite uma compreensão mais ampla e profunda nos processos de todos os aplicativos e funções do projeto.

Para quem está começando agora a trabalhar com o New Relic APM é recomendável adaptar as configurações da ferramenta de acordo com o projeto e deixar o ambiente de trabalho o mais confortável possível.

Isso permitirá otimizar os recursos alocados e trazer resultados mais eficientes. Após se familiarizar com a ferramenta, é hora de conhecer algumas das melhores práticas no APM para dar um boost nas soluções de aplicativos e funções.

Definindo nomenclaturas para os aplicativos

Quando vários aplicativos estão em execução em um mesmo ambiente, geralmente é muito trabalhoso encontrar um específico.

Para contornar esse problema, a sugestão é criar convenções de nomenclaturas para rotular e facilitar os processos de busca e filtragem, por exemplo, <environment> – <appname> – <language>.

Configurações de conta e acesso

Criar uma hierarquia de contas e subcontas para controlar o acesso dos aplicativos também é fundamental. Já limitar o acesso aos pertinentes a um grupo específico facilita a não colocar em risco funções essenciais.

Compreenda a experiência do cliente utilizando o Apdex

O APM Overview, página de visão geral da ferramenta, disponibiliza diversos gráficos de monitoramento e isso pode dificultar o processo de solução de problemas nas funções dos aplicativos.

Esses gráficos oferecem a vantagem apontar as correlações de comportamentos. Afinal, aplicativos com taxas de transferência maiores que o normal podem indicar um pico no tempo de resposta.

Já um com taxa de transferência mais lenta tende a coincidir com uma taxa de erro elevada. De qualquer forma, as correlações apresentadas nos gráficos influenciam na medida Apdex, padrão industrial para medir a satisfação do usuário em relação ao tempo de resposta de um aplicativo ou serviço web.

A medida Apdex que vai de 0 a1 fornece um relatório do desempenho dos aplicativos em execução. Quanto mais familiarizado com Apdex, melhor definirá o valor ideal para os aplicativos baseado no histórico e necessidades do cliente.

Conforme a definição catalogada para cada um, o Apdex traduz e categoriza em três grupos: Satisfeito, Tolerantes, e Frustrados, de acordo com a pontuação atribuída ao tempo de resposta nas transações realizadas.

Isso permitirá compreender quais são os problemas e os aplicativos responsáveis pela experiência negativa que o cliente possa ter em sua operação.

Solucione problemas e conflitos

Conforme o usuário encontre erros nos aplicativos, o APM disponibiliza o recurso de Error Analytics localizado na aba Events. O Error Analytics disponibiliza gráficos e um detalhamento da contagem de erros por tipo.

Quando o usuário clica no erro consegue rastrear sua origem permitindo a solução do problema de forma simples e rápida.

Outros recursos disponíveis no APM, como o Distributed Tracing disponibiliza visão ampla de onde estão as transações mais lentas e problemas críticos nos aplicativos.

Este artigo foi útil? Se ficou com alguma dúvida, deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Fechar Menu